cadastre-se

Cadastre seu email e receba novidades

Facebook

Notícia

Ato contra a reforma da Previdência mobiliza 50 mil

Manifestantes tomam as ruas da cidade

Manifestantes tomam as ruas da cidade

Ontem (15), em Salvador e no interior do estado milhares de manifestantes saíram às ruas para protestar contra a reforma da Previdência. Na capital, dois atos mostraram força. Pela manhã, na região do shopping da Bahia (antigo Iguatemi). À tarde foi a vez do centro da cidade, quando os manifestantes marcharam do Campo Grande à Praça Castro Alves, empunhando bandeiras contra a ‘destruição’ da Previdência Social e pelo ‘Fora Temer’.
 
Os trabalhadores em Educação, liderados pela Aplb Sindicato iniciaram ontem uma greve de 10 dias, com um intenso calendário de mobilização. O pessoal do Judiciário (Sinpojud e Sintaj) também paralisou suas atividades no dia de ontem. As outras categorias do funcionalismo também se destacaram nas atividades, como os servidores da Saúde (Sindsaúde-Ba), Segurança (Sindpoc), Meio Ambiente (Ascra), técnicos das universidades (Sintest e Assufba), farmacêuticos (Sindifarma), médicos (Sindimed), fazendários (Sindsefaz), dentre outros.



 


A atividade, que foi proposta pelas Centrais Sindicais (CTB, Cut, Nova Central, Força Sindical, UGT e CSP-Conlutas), reuniu mais de 50 mil pessoas e agitou a cidade. Combinada com os atos nos outros estados, demonstrou a força dos trabalhadores e sinalizou ao governo que a população está em alerta e que as reformas propostas não podem passar. 







Campanha salarial 2017
 
Além da questão nacional, as entidades de representação do funcionalismo estadual protestaram também em favor da campanha salarial deste ano, como lembrou a coordenadora da Fetrab, Marinalva Nunes: “a previdência é nacional, portanto a greve é geral, mas não podemos esquecer de nossa campanha salarial aqui na Bahia, pois o governo vem desrespeitando o piso estadual, que está abaixo do mínimo. Eles têm reclamado da crise, de terem atingido o limite prudencial (gastos com pessoal) da Lei de Responsabilidade Fiscal, e vem acenado a possibilidade de negociar outros itens da pauta de reivindicações, fora o reajuste linear”.
 
Para se aprofundar os debates, a Fetrab recomenda a apreciação da agenda de mobilização das categorias até hoje (16), como preparação da próxima plenária, no dia 23, às 14, na sede da Associação dos Funcionários Públicos (Rua Carlos Gomes).
 

Deixe seu comentario:


Todos os direitos reservados à FETRAB